terça-feira, 1 de março de 2011

Energias alternativas no Alentejo

Os 8º e 9º anos, no âmbito das disciplinas de Ciências Físico-químicas, Ciências Naturais, Geografia e Informática, visitaram a Central Fotovoltaica de Amareleja e a Central Hidroeléctrica da Barragem de Alqueva.
Embora permitam produzir energia eléctrica sem emissões de CO2, as suas infraestruturas têm impacto sobre o ambiente.

É neste constante balanço entre impactos negativos / positivos que se move o desenvolvimento.

No Centro de Informação da EDIA, os 8ºs ano conheceram as medidas de minimização e de compensação que foram aplicadas, obrigatoriamente, a fim de compensar o impacto da barragem, da área inundada e das transferências de água entre diferentes barragens e rios. Assim a destruição de habitats com prejuízo para várias espécies prioritárias obrigou à translocação de espécies, à construção de uma gruta artificial para morcegos, à montagem de elevador para peixes migradores, à segregação de águas de diferentes bacias hidrográficas, à colocação de barreiras aquáticas acústicas... um esforço que está longe de abarcar o leque de perturbações nos ecossistemas que resultarão da agricultura intensiva que a água permitirá...


Sem comentários:

Publicar um comentário